isso é baía formosa

eu depois do velejo

  • "viver a poesia é muito mais necessário e importante do que escrevê-la" murilo mendes

domingo, 30 de agosto de 2009

brisa


olho pelo mundo,
vejo toda beleza
que se encontra
na natureza.
sopra o vento você em mim
e gela as minhas entranhas.
vai congelando assim...
as minhas façanhas.
quando sinto esse ar,
deixo-me ser parte
da essência que me adentra
e que se expande na arte.



escutando "can't take my eyes off of you" com o muse

domingo, 16 de agosto de 2009

ventos que sopram

tenho escrito sobre as minhas
incertezas e sentimentos que, de
alguma forma, me incomodam.
!nspiração? !ncomodaram?
sei não...
encaro isso com certa naturalidade,
pois aprendi a interpretar
o que sinto. é simples:
consigo fazer bem feito
quando realmente quero!
e não gosto de me sentir presa.



música "vou deitar e rolar" (elis)

terça-feira, 11 de agosto de 2009

arquétipo


é preciso ser capaz de tomar a difícil decisão de viver sem se deixar absorver por atitudes alheias que ferem. é passado!depois disso, cada novo capítulo que se protagoniza consigo mesmo será deveras interessante.

música "tudo passa" do marcelo camelo

sexta-feira satã

a noite de sexta rompeu da forma menos
suave e lenta que minha emoção poderia
sonhar.
sua voz embalando o que eu não gostaria
de escutar e o seu corpo fazendo-me ver
o que eu já pressentira.
caminhei sem olhar aos lados.
mas não estou só. e essa sensação me deixa
ousada.
acabo de despedir-me de um sonho
e não me restam lágrimas para chorar
a perda.
a dor já não tanto incomoda.
as cicatrizes no peito tornaram-me
insensível.

domingo, 9 de agosto de 2009

desdobravel...mente


pedalei comigo.
faço sempre.
encontrei amigo antigo e pensei
no quanto sou cruel por não
procurar as pessoas que gosto.
pedalamos forte e paramos pela água de côco sagrada.
falamos algumas bobagens sobre nossas vidas e,
subitamente, tive uma vontade visceral de dizer
que estou triste, quero colo e que se dane a
fantasia da mulher fortaleza.
chorei a cântaros. choveu idem.
chorar é um remédio e não apenas um conforto.
gostaria de chorar com os pés descalços e sem
blusa! para respirar melhor...
e que se danem - também - os pudores!!
escutando the ordinary boys "all the sings she said"

domingo, 2 de agosto de 2009

aflição quase


sentada na cadeira onde vi saraband de bergman,
me debruço sobre textos que há muito devo ler.
preciso escrever o que penso deles, mas esses
dias me consomem com ócio e mais uns
dissabores cotidianos que se esgotam quando
eu saio caminhando, pisando os paralelepípedos
dessa baía formosa ao vento.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

90 anos da Escola Bauhaus

"BauBike", a bicicleta de Michael Ubbesen Jakobsen, o designer dinamarquês.

by bike


levantei-me hoje louca de vontade de dar uma pedalada.
eis que vou à janela e... estava chovendo.
pedalar sentindo as gotas batendo no rosto
é uma das melhores coisas do mundo!
de bicicleta percorremos caminhos que num carro jamais se ia,
descobrimos um mundo que nem percebemos no dia a dia.
e essa liberdade não é sonho!
escutando "santa chuva", do marcelo camelo

quarta-feira, 24 de junho de 2009


"Existe alguma coisa que a deixe feliz? Sim: andar de
bicicleta de madrugada depois de fazer amor. Mas tem
de ser aquela bicicleta modelo antigo, o guidão curvo,
uma cestinha pendurada. De saia rodada, o vento desco-
brindo as pernas. Gosto de pedalar em alta velocidade, a
rua quase deserta, sem parar nos sinais vermelhos. Pegar
avenidas largas, depois ruas estreitas, vielas, me perder
por caminhos que não conheço. O sorriso explícito, sem
mistério algum. O corpo ainda quente, a calcinha ainda
úmida, os braços trêmulos, as pernas bambas."
do romance "a chave de casa", de tatiana salem levy (record)
Escutando "California" (The Kooks)

domingo, 26 de abril de 2009

acaso


a boca seca. o corpo dói.
a cabeça gira.
na barriga, náusea!
não consigo pensar.
gostaria até de levantar.
não... não quero levantar!
nem penso em comer.
até respirar está difícil!
sinto calafrios...
a depressão não me pegou,
só estou com um pouco de tédio...
a festa foi muito boa,
mas nunca mais vou beber.

terça-feira, 7 de abril de 2009

mel

passei uns dias escolhendo luz,
decidindo meu riso.
desembaraço meu silêncio
passeando em mim sem saber.
sabendo-me,
ouço enquanto falo.


escutando "elephant gun" do beirut

sexta-feira, 3 de abril de 2009

queria ser astronauta.
queria ter escrito "não apresse o rio, ele corre sozinho".
tenho conversado comigo,
não chego à conclusão alguma.
e não tenho feito poemas.
mas eu já fiz algum dia?
quando eu encontro uma verdade,
as outras são mentiras.
não sou erudita e nem quero ser.
quero ouvir o barulho das ondas e só.


escutando "the nest time around" do little joy

segunda-feira, 30 de março de 2009

o regresso (ou voltando)


a mala está meio cheia.
ou será melhor dizer meio vazia?!
roupas sapatos perfumes cremes mapas livros cds dvds saudades...
como colocar nossa vida toda
num lugar onde só pode caber 20 kg?!

sexta-feira, 27 de março de 2009

contemplação


espero contribuir para a satisfação humana através do meu sorriso ao calçar as legítimas havaianas e sair de casa vestida sem tanto tecido.
nesses dias no rio de janeiro, descobri que ler em voz alta pode fazer bem para a memória.
é, sobretudo, um bom exercício para a voz.
descobri que gritar alguns versos incita o desejo de sair correndo, pela orla ou pelas ruas, cortando os automóveis. imóveis!
descobri que ouvir as vicissitudes da vizinhança carioca às 07:30 é um despertador narrativo que anuncia vida.
descobri que escrever é uma das maiores esquizofrenias. elucidei!

sábado, 14 de março de 2009

supertramp (para tavinho)

vai caminhante...
no chão de areia salgada
desenha os pés descalços
pisa o silêncio vil que faz calar
que ainda faz calor
fúria de ter em suas mãos as de um alguém
a apertar, a beijar
vai caminhante... antes do alvorecer
antes do ocaso... vai
luzes câmera canção
que horas são?
vai encontrar ninguém
sonhando a falar
vai caminhante!
no chão, conchinhas...
pisa o silêncio, caminhante,
foge do amor
sossego marítimo
vai, caminhante!

sexta-feira, 13 de março de 2009

preguiça!

já faz um tempo que não venho por aqui.
não é exatamente a negligência rotineira que acontece com alguns bloggers, mas apenas distração.
fiquei algum tempo pensando sobre a minha vontade de escrever, a minha vontade de ler.
não sei...
fico sem saber como equilibrar o meu surf, o passeio com minhas cachorras na praia, as pedaladas sem rumo ao amanhacer, o desejo, a vontade de dormir.
tudo isso junto em contraposição ao latente pedido cerebral de produzir.
eu realmente queria ser mais organizada, o que não é fácil;
muito menos quando ideias e pensamentos são mais acelerados que os batimentos cardíacos.
sempre tenho delirantes ideias que não saem do delírio porque acabo indo conversar com o travesseiro - até o próximo dia!!