isso é baía formosa

eu depois do velejo

  • "viver a poesia é muito mais necessário e importante do que escrevê-la" murilo mendes

segunda-feira, 30 de março de 2009

o regresso (ou voltando)


a mala está meio cheia.
ou será melhor dizer meio vazia?!
roupas sapatos perfumes cremes mapas livros cds dvds saudades...
como colocar nossa vida toda
num lugar onde só pode caber 20 kg?!

sexta-feira, 27 de março de 2009

contemplação


espero contribuir para a satisfação humana através do meu sorriso ao calçar as legítimas havaianas e sair de casa vestida sem tanto tecido.
nesses dias no rio de janeiro, descobri que ler em voz alta pode fazer bem para a memória.
é, sobretudo, um bom exercício para a voz.
descobri que gritar alguns versos incita o desejo de sair correndo, pela orla ou pelas ruas, cortando os automóveis. imóveis!
descobri que ouvir as vicissitudes da vizinhança carioca às 07:30 é um despertador narrativo que anuncia vida.
descobri que escrever é uma das maiores esquizofrenias. elucidei!

sábado, 14 de março de 2009

supertramp (para tavinho)

vai caminhante...
no chão de areia salgada
desenha os pés descalços
pisa o silêncio vil que faz calar
que ainda faz calor
fúria de ter em suas mãos as de um alguém
a apertar, a beijar
vai caminhante... antes do alvorecer
antes do ocaso... vai
luzes câmera canção
que horas são?
vai encontrar ninguém
sonhando a falar
vai caminhante!
no chão, conchinhas...
pisa o silêncio, caminhante,
foge do amor
sossego marítimo
vai, caminhante!

sexta-feira, 13 de março de 2009

preguiça!

já faz um tempo que não venho por aqui.
não é exatamente a negligência rotineira que acontece com alguns bloggers, mas apenas distração.
fiquei algum tempo pensando sobre a minha vontade de escrever, a minha vontade de ler.
não sei...
fico sem saber como equilibrar o meu surf, o passeio com minhas cachorras na praia, as pedaladas sem rumo ao amanhacer, o desejo, a vontade de dormir.
tudo isso junto em contraposição ao latente pedido cerebral de produzir.
eu realmente queria ser mais organizada, o que não é fácil;
muito menos quando ideias e pensamentos são mais acelerados que os batimentos cardíacos.
sempre tenho delirantes ideias que não saem do delírio porque acabo indo conversar com o travesseiro - até o próximo dia!!