isso é baía formosa

eu depois do velejo

  • "viver a poesia é muito mais necessário e importante do que escrevê-la" murilo mendes

domingo, 30 de agosto de 2009

brisa


olho pelo mundo,
vejo toda beleza
que se encontra
na natureza.
sopra o vento você em mim
e gela as minhas entranhas.
vai congelando assim...
as minhas façanhas.
quando sinto esse ar,
deixo-me ser parte
da essência que me adentra
e que se expande na arte.



escutando "can't take my eyes off of you" com o muse

domingo, 16 de agosto de 2009

ventos que sopram

tenho escrito sobre as minhas
incertezas e sentimentos que, de
alguma forma, me incomodam.
!nspiração? !ncomodaram?
sei não...
encaro isso com certa naturalidade,
pois aprendi a interpretar
o que sinto. é simples:
consigo fazer bem feito
quando realmente quero!
e não gosto de me sentir presa.



música "vou deitar e rolar" (elis)

terça-feira, 11 de agosto de 2009

arquétipo


é preciso ser capaz de tomar a difícil decisão de viver sem se deixar absorver por atitudes alheias que ferem. é passado!depois disso, cada novo capítulo que se protagoniza consigo mesmo será deveras interessante.

música "tudo passa" do marcelo camelo

sexta-feira satã

a noite de sexta rompeu da forma menos
suave e lenta que minha emoção poderia
sonhar.
sua voz embalando o que eu não gostaria
de escutar e o seu corpo fazendo-me ver
o que eu já pressentira.
caminhei sem olhar aos lados.
mas não estou só. e essa sensação me deixa
ousada.
acabo de despedir-me de um sonho
e não me restam lágrimas para chorar
a perda.
a dor já não tanto incomoda.
as cicatrizes no peito tornaram-me
insensível.

domingo, 9 de agosto de 2009

desdobravel...mente


pedalei comigo.
faço sempre.
encontrei amigo antigo e pensei
no quanto sou cruel por não
procurar as pessoas que gosto.
pedalamos forte e paramos pela água de côco sagrada.
falamos algumas bobagens sobre nossas vidas e,
subitamente, tive uma vontade visceral de dizer
que estou triste, quero colo e que se dane a
fantasia da mulher fortaleza.
chorei a cântaros. choveu idem.
chorar é um remédio e não apenas um conforto.
gostaria de chorar com os pés descalços e sem
blusa! para respirar melhor...
e que se danem - também - os pudores!!
escutando the ordinary boys "all the sings she said"

domingo, 2 de agosto de 2009

aflição quase


sentada na cadeira onde vi saraband de bergman,
me debruço sobre textos que há muito devo ler.
preciso escrever o que penso deles, mas esses
dias me consomem com ócio e mais uns
dissabores cotidianos que se esgotam quando
eu saio caminhando, pisando os paralelepípedos
dessa baía formosa ao vento.