isso é baía formosa

eu depois do velejo

  • "viver a poesia é muito mais necessário e importante do que escrevê-la" murilo mendes

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

bla bla bla

a gente cresce,
evolui,
pra melhor ou pior...
nao importa, tudo é crescer.
conhecemos a música e os seus sentidos...
os nossos sentidos.
conhecemos o amor!
amamos e odiamos...
depois amamos de novo.
queremos desejos!!
mas aqui estou eu:
já passa da meia-noite...
olhos abertos...
quero sono!
(nada se compara a maravilha dessa despretensão)
quero a companhia dos sonhos!
das coisas sem sentido.
mas o sentido nao faz sentido,
ou melhor, o sentido nao é sentido...
se isso fizer sentido pra alguém,
talvez faça sentido pra mim também.

acho que até hoje,
eu só cuido é de me repetir.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

com licentia

quando nasci, um anjo muito louco,
daqueles que tocam guitarra,
disse: desce e arrebenta!
não sei bem o que ele quis dizer,
mas tento não me arrebentar.
sou pisciana, surfista,
teimosa, rock'n roll, e até velejo.
não desisto!
espelho? do mar.
sonho? vários!
alguns estão em prática,
outros...
arrebentarão!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

by enrique

"vai e me atinge
flexa desvairada
cega minha carne
abre minha alma
e as brasas de teu fogo
em ponto me queimarão
e se não fogo eu for
cinzas que eu seja então"

lucidez castigada


enlouquecer é muito facil.
dificil é raciocinar.
estou encantada e talvez
venha dai a loucura...
que a minha loucura seja perdoada.
porque metade de mim é amor,
e a outra metade...
tambem!

by manuela amaral

"modelei meu corpo
à tua forma nua
e de nós duas
nasceram madrugadas"

com o que mais me identifiquei nesse poema?
com as virgulas! rsrsrs...
e com as duas madrugadas!! rsrsrs...

sábado, 6 de setembro de 2008

qual é o seu cheiro?


voce ja reparou que alguns perfumes e cheiros
têm a capacidade de marcar um momento,
uma pessoa, uma situaçao?
comigo acontece isso, às vezes.
so de sentir um perfume que ha tempos nao usava,
eu me recordo de ocasioes onde o usei,
seja numa ida ao cinema, numa viagem, ou sei la o quê!
cheiro da casa de minha mae, quando chego e abro a porta.
cheiro de minha avo, quando vou em sua casa mesmo ela nem estando mais la...
cheiros que me parecem familares trazem de volta
fraçoes de experiencias que eu nem recordava mais!
saudades, oh, sentimento ambiguo!
saudades...

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

perdas e ganhos

perco as palavras para as reticências.
algumas coisas me levaram a lugares,
outras me tiraram deles:
perdas e danos.
quem disser que há coerência na vida,
perdeu-se dela.
meu coração - aos soluços -
é um abismo entre
o que eu quero...
e o que eu suportaria ser.
quanto tempo durou?
... talvez o suficiente para sentir a perda.